A tradicional Festa de Nossa Senhora da Saúde comemora sua 198º edição

O Jubileu de Nossa Senhora da Saúde tem extrema importância para a cultura da cidade de Lagoa Santa e para o Estado de Minas Gerais. Comumente conhecida como Festa de Agosto, realizada em frente à igreja Matriz na Praça Dr. Lund, a Festa envolve fiéis e população durante o mês todo, mas o grande dia é o 15º que comemora o dia da padroeira da cidade. O Jubileu foi reconhecido como Patrimônio Imaterial pelo Conselho Municipal de Cultura e Patrimônio Histórico, já que acompanha gerações de lagoassantenses.

Em sua 198º edição, as tradicionais missas serão transmitidas de forma online todos os dias do jubileu, devido a pandemia do COVID-19. Para participação presencial é necessário fazer o agendamento, ele pode ser realizado aqui. A programação ainda contempla orações e cânticos, barraca drive-thru e muito mais. Você confere todas as atividades aqui.

A tradição teve início em Portugal, na época da “grande peste”, em meados do século XVI. No verão de 1569 o contágio foi muito grande e o então rei D. Sebastião não poupou esforços para controlar a disseminação, solicitando ajuda à Espanha. Mas, mesmo com a ajuda espanhol com o envio de médicos, não foi suficiente, logo o povo recorreu a fé, mobilizando procissões à Nossa Senhora. Em 1570, tendo o número de mortos diminuído, foi estabelecido uma festa em sua homenagem. Logo, a Virgem Maria recebeu o título de Nossa Senhora da Saúde.

Não demorou muito para a imagem e história de Nossa Senhora da Saúde chegar ao Brasil. Em Lagoa Santa, foi eleita padroeira da cidade quando ainda acreditava-se que as águas da Lagoa Central continha poderes de cura. A comemoração é realizada desde 1823 na cidade.

Tradicionalmente os preparativos para a festa começavam em julho. Os homens da região buscavam madeira para a barraca grande e lenha para a fogueira. Buscavam o gado doado pelos fazendeiros para os leilões e para o abate. Os romeiros vinham da zona rural e de várias regiões do Brasil. As barracas se estendiam a partir da praça Dr. Lund até a rodoviária. As pessoas vinham entre os dias 31/07 ao dia 15/08, pagar promessas, pedir intervenções de Nossa Senhora da Saúde e por causa das graças realizadas. Hoje, a madeira foi substituída pela barraca metálica de lona. Mas, apesar das mudanças o significado permanece o mesmo, comunhão, devoção e manifestação cultural.

Foto: Reprodução/ Igreja Matriz Lagoa Santa, Minas Gerais.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba conteúdo em primeira mão!

Siga a gente!